Francisco J. Marques, diretor de comunicação do FC Porto, reagiu esta terça-feira ao já chamado ‘caso’ João Palhinha, depois de o Tribunal Arbitral do Desporto (TAD) ter vindo esclarecer que não anulou o cartão amarelo visto pelo jogador do Sporting no jogo com o Boavista.

«É das coisas mais surrealistas, não me lembro de nada tão surrealista como isto. As singularidades do futebol português são extraordinárias, mas esta bate todos os recordes. O jogador Palhinha viu um cartão amarelo no Boavista-Sporting, claramente mal mostrado, seria legítimo tirar o amarelo e em vez de ter cinco cartões e cumprir castigo, aquele amarelo não existiria e ficava com quatro. A verdade é que não cumpre castigo, mas aproveita para limpar, é um atentado à verdade desportiva», disse, em declarações no Porto Canal.

«É importante que o Sporting se pronuncie sobre isto. Podem dar as voltas que quiserem, mas é a coisa mais estranha que me lembro de ver no futebol português. Mostra como estas coisas têm de levar uma volta. Descredibiliza completamente, arruma completamente com o TAD. Dá vontade de rir», finalizou.





Supply hyperlink

Wordpress Social Share Plugin powered by Ultimatelysocial