Em causa está a alegada falta de um desfibrilhador e de um plano de resposta para estes casos no Dragão Enviornment

O Ministério Público abriu uma investigação às circunstâncias que rodearam a morte de Alfredo Quintana, guarda-redes da equipa de andebol do FC Porto que morreu no closing de fevereiro depois de sofrer uma paragem cardiorrespiratória durante um treino da equipa azul e branca. Em causa está a alegada falta de um desfibrilhador e de um plano de resposta para estes casos no Dragão Enviornment, avança  o ‘Correio da Manhã’.


2

Deixe o seu comentário





Supply hyperlink

Wordpress Social Share Plugin powered by Ultimatelysocial