Os heróis de Turim voltam à ação no campeonato este domingo. Às 20 horas (Sport TV.1), o Estádio do Dragão é palco do pontapé de saída do embate entre FC Porto e Paços de Ferreira. Na conferência de imprensa de antevisão da receção ao atual quinto classificado da Liga NOS, Sérgio Conceição não se mostrou minimamente deslumbrado com a eliminação da Juventus nos oitavos de ultimate da Liga dos Campeões e avisou: “Nós não precisamos de determinados jogos para nos dar ou retirar ethical. A nossa ethical tem de ser sempre a mesma. A nossa determinação, ambição e motivação têm que ser sempre as maiores e melhores”. Prestes a medir forças com “uma equipa muito competente, bem orientada e que tem feito um excelente campeonato”, o timoneiro portista exige concentração máxima: “Quando nós achamos que está tudo bem, nada está bem. Quando estamos mais distraídos e não nos preocupamos com o pormenor, nem nos focamos no mais importante, damos por ela e temos alguns dissabores”.

Preparação para os pacenses
“Foi exatamente com as mesmas preocupações em relação à carga que os jogadores trazem de um jogo com prolongamento e viagem. Para que os jogadores, em termos físicos, estejam bem e que quem jogue esteja apto para fazer um jogo a todos os níveis, principalmente nessa vertente. Essa foi uma das situações com que nos preocupámos, e que é a base para percebermos se um determinado jogador não está apto olhando para o próximo adversário, que é o Paços. Nós já tivemos oportunidades de os defrontar e de perceber, não só contra nós, mas pelo que têm feito durante todo o campeonato. Nós não precisamos de determinados jogos para nos dar ou retirar ethical. A nossa ethical tem de ser sempre a mesma. A nossa determinação, ambição e motivação têm que ser sempre as maiores e melhores. Uma vez com sorrisos mais rasgados, outra vezes menos, mas isso tem a ver com o momento. E o momento tem a ver com as vitórias ou não. Foi uma semana regular dentro daquilo que tem sido a grande carga de todos que temos tido. Mas estamos aqui para arranjar soluções.”

Rescaldo de Turim
“Ainda fico pior. Pior no sentido de perceber que nós não estávamos assim tão mal depois do jogo com o SC Braga nem agora estamos numa forma fantástica em que está tudo bem. Continuamos a cometer erros, a ter situações em que temos de trabalhar e melhorar obrigatoriamente. Estamos a falar de comportamentos individuais que o coletivo sente e da responsabilidade que temos no campeonato, de continuar a acreditar que é possível ganhar os nossos jogos e no fim fazer as contas. Esse sentido de responsabilidade que eu tenho e o grupo de trabalho também continua no máximo. É nestes momentos de maior euforia externa que eu mais me preocupo, porque por vezes os jogadores são mais influenciados por este ambiente. Não é que o façam de forma propositada, mas é absolutamente pure e eu compreendo. Como líder da equipa tenho de frisar o trabalho que há a fazer e que o grupo esteja consciente de que temos um jogo extremamente difícil e importante amanhã com o Paços. Esse também é um bocadinho do meu caráter, porque muitas vezes chegamos a um patamar que nós achamos que é elevado quando há outros acima para conquistar. Quando nós achamos que está tudo bem, nada está bem. Quando estamos mais distraídos e não nos preocupamos com o pormenor, nem nos focamos no mais importante, damos por ela e temos alguns dissabores. Nesse sentido é exatamente a mesma coisa, venho para aqui com a consciência de que demos um passo importante, de que o jogo que passou vai ficar para a história. Por todas as incidências e por ser contra quem period, contra uma equipa que não se prepara para ganhar a Liga Italiana, mas para ganhar a Liga dos Campeões, com jogadores que são dos melhores do mundo, ao contrário do que possam querer passar. Nós estamos obviamente satisfeitos com isso, seria hipocrisia da minha parte dizer que não estamos satisfeitos, contentes e felizes com essa situação. Mas isto é só mais um passo, que é importante, mas já faz parte do passado. Agora temos de olhar para o Paços, uma equipa muito competente, bem orientada e que tem feito um excelente campeonato.”

Passagem aos “quartos” não alterou os objetivos da temporada 
“É exatamente igual.”

Momento com Mehdi Taremi pós-Juventus
“São conversas nossas, não ficava bem revelar o que lhe disse. Ele sentiu que teve um momento menos bom, que coincidiu com um árbitro muito rigoroso. Disse que amanhã se queria redimir contra o Paços e fazer golo.”

Renovação do contrato
“Pelo respeito que tenho pelos adeptos e pelo nosso clube tenho a dizer que há coisas mais importantes do que isso, nomeadamente o jogo de amanhã. Não é um problema em relação à minha vivência. Noutros clubes, onde fui exatamente o mesmo profissional que sou aqui, a minha continuidade ou o ir embora nunca foi problema. Ou as pessoas acharem que o meu tempo acabou, graças a Deus isso não é um problema. Tenho uma vida completamente estável e tranquila, a todos os níveis. Não dependo do futebol para nada nesse sentido, dependo do futebol por ser a minha paixão, por ter vontade de estar dentro do futebol que me deu tudo na vida. A única coisa que me transfer para andar aqui é a paixão pelo que faço. E muitas vezes a sofrer um bocadinho com tanta coisa que eu vejo. Mas isso já é outra história que nos levava para outros caminhos, e eu não quero.”





Supply hyperlink

Wordpress Social Share Plugin powered by Ultimatelysocial