Sérgio Conceição foi confrontado com a falta de consistência defensiva da equipa na projeção ao jogo com a Juventus, evidenciada nos últimos jogos dos dragões, com cinco golos sofridos nos últimos três jogos.

O cenário até contrasta com aquele que o FC Porto demonstrou na fase de grupos da Liga dos Campeões, na qual sofreu apenas três golos nas seis partidas disputadas diante Manchester Metropolis, Olympiakos e Marselha.

«Os jogadores sabem o que se passa, porque já tivemos oportunidade de falar disso. Não é um problema de termos sofrido dois golos com o Boavista, é um problema que já se arrasta há algum tempo. Não é regular equipas minhas sofrerem tantos golos, principalmente em casa», começou por dizer, abrindo um pouco o livro: «Acho que tem a ver com a forma como atacamos e a possibilidade que damos ao adversário de contra-atacar. »

A esse propósito falou também sobre uma possível linha de três defesas, colocado em campo nos dois jogos com o Manchester Metropolis. «É um sistema como outro qualquer. Dentro deste sistema é importante perceber que centrais temos à disposição, que na saída de bola, se calhar, é melhor do que encaixar um médio. Há mais largura no campo, por causa dos laterais. O sistema de 3x4x3, bem trabalhado, com jogadores com características para o desempenhar, acho tão interessante como um 4x4x2», considerou, aproveitando para fazer uma viagem no tempo:

«Comecei a minha carreira em 4x2x3x1 ou em 4x3x3, mas encontrei no Nantes uns ‘bichos’ na frente e a equipa dava-me garantias tanto a atacar como a defender. Depende sempre da dinâmica e do equilíbrio da equipa.»



Supply hyperlink

Wordpress Social Share Plugin powered by Ultimatelysocial