Jorge Nuno Pinto da Costa marcou presença na sala de imprensa do estádio do SC Braga para tecer duras críticas à arbitragem do jogo dos dragões contra os bracarenses, que terminou com empate a um e com expulsões para Luis Díaz e Matheus Uribe.

 

«Em primeiro lugar, quero lamentar a lesão sofrida pelo atleta do SC Braga e, em nome do clube, desejar-lhe rápidas melhoras para o seu regresso ao futebol. Em relação às muitas mensagens que recebi durante o jogo a pedir para, perante o que se estava a passar em campo, a equipa abandonar o terreno do jogo, quero pedir a todos os adeptos que mantenham a serenidade, porque ninguém nos verga. Não é desta forma, como tem vindo a acontecer nos últimos jogos, que nos vão vergar», disse, prosseguindo.

 

«Agora, vamos a factos. O senhor Hugo Miguel, VAR de hoje, foi também VAR no FC Porto-Benfica, que teve o mesmo árbitro principal, Luís Godinho. Nesse jogo, quando foi mostrado o amarelo ao Taremi [entrada sobre Otamendi] ele interveio para pedir um vermelho e sobre todas as agressões que houve nesse jogo, que mostrámos depois, ele não chamou o árbitro para nenhuma. Hoje, isso aconteceu num lance lamentável mas perfeitamente informal.

 

 Na closing da Taça da Liga, quando um jogador do Sporting atingiu um do SC Braga nas partes baixas, ele também não interveio. São demasiados falhanços para termos de estar sempre a levar com este senhor no VAR. Vejam, analisem toda a dualidade de critérios que houve. Na expulsão do Uribe, toda a gente sabia que ele não podia ir para a rua sozinho, mas isso o VAR e o árbitro não viram.

 

– Basta! Vamos dizer aqui, solenemente, basta! Queremos paz no futebol, mas não nos provoquem nem brinquem mais com o FC Porto. Apelo à serenidade, mas digo basta. Sei que neste país não temos Secretário de Estado do Desporto porque morreu. Não foi enterrado mas está morto ou desertou. Basta!», repetiu o presidente dos dragões.



Supply hyperlink

Wordpress Social Share Plugin powered by Ultimatelysocial