Redação

Tópicos

FC Porto voltou a deixar críticas à arbitragem na primeira mão das meias-finais da Taça de Portugal, agora na e-newsletter diária.

Depois das críticas à equipa liderada por Luís Godinho após o encontro, o FC Porto utilizou a e-newsletter diária para voltar a contestar a arbitragem do encontro da primeira mão das meias-finais da Taça de Portugal, que terminou empatada a um golo.

“Desta vez, à segunda vez na Pedreira, não bastou uma expulsão para impedir o FC Porto de ganhar. Desta vez, foi preciso duas para o Braga poder empatar (1-1). E fê-lo 12 minutos para lá dos 90, num jogo – o da primeira mão das meias-finais da Taça de Portugal – que os dragões disputaram em inferioridade numérica durante mais de meia hora, depois de uma expulsão absurda de Luis Díaz, severamente penalizado pela lesão grave e fortuita de David Carmo num lance em que não cometeu qualquer falta”, surge escrito.

“Porque Luís Godinho e Hugo Miguel brincaram com o futebol, Mehdi Taremi (…) ficou forçosamente para o fim, afastado dos holofotes pelos disparates de arbitragem que atenuaram o desconforto do Braga para o reencontro no Dragão, por ocasião da segunda mão”, menciona o clube, referindo-se ao golo de chapéu apontado pelo iraniano.

“A expulsão de Luis Díaz, que deixou o relvado num pranto, ajudou-nos a perceber ainda que, ao contrário do que aconteceu no Jamor, quando Kritciuk cometeu falta dentro da área sobre Nanu (num choque que também conduziu o jogador do FC Porto ao hospital), lances do género não justificam juízo de intenções ou não exigem critério, porque em Oeiras não houve expulsão. Nem penálti”, remata o FC Porto sobre o assunto.





Supply hyperlink

Wordpress Social Share Plugin powered by Ultimatelysocial